16 dezembro, 2006

 

Morre Clay Regazzoni


 



Clay Regazzoni e sua Ferrari em Long Beach, pintura de Nicholas Watts

O ex-piloto de Fórmula 1 suiço Clay Regazzoni morreu num acidente de carro nesta sexta-feira, próximo a Parma (Itália), aos 67 anos.

Correndo pela Ferrari, Regazzoni foi um dos grandes rivais de Émerson Fittipaldi nos anos 70, disputando com o brasileiro o título de pilotos de 1974. Os dois chegaram empatados na última etapa, em Watkins Glen (Estados Unidos), onde Émerson bateu o suiço ao chegar em 4º lugar - Regazzoni foi apenas o 11º.

Em 1980, os dois já estavam no ocaso de suas carreiras, Fittipaldi amargando sucessivas frustrações em sua Copersucar, e Regazzoni lutando em uma fraca Ensign. Na corrida de Long Beach, Regazzoni estava logo à frente de Émerson, defendendo uma excelente 4ª posição. Na freada para um hairpin, o pedal do freio do carro de Regazzoni se quebrou, e o suiço passou reto. Émerson contornou o hairpin e, mesmo com o motor do carro berrando às suas costas, conseguiu ouvir o terrível baque do rival se chocando contra a barreira de proteção. O barulho foi tão forte que Émerson teve a certeza que Regazzoni havia morrido, mas teve o sangue frio de seguir em frente e terminar a prova - que não chegou a ser interrompida - na terceira posição. Aquele foi o último pódio de Émerson Fittipaldi, a primeira vitória de Nélson Piquet, e a única vez em que os dois se encontraram no pódio. Só após a corrida os pilotos tiveram maiores informações sobre Regazzoni: ele sobrevivera, mas sofreu uma lesão na coluna que o deixaria paralítico da cintura para baixo.

Após o acidente, o suiço participou de campanhas voltadas para deficientes físicos, e foi comentarista ocasional de Fórmula 1 para as TVs italianas e suíças.

 

 

Faça seu comentário aqui, se nada deu certo: Postar um comentário

This page is powered by Blogger. Isn't yours?