30 julho, 2005

 

Funciona!!!


 

Muié do telemarketing me liga bem na hora do almoço (tudo bem que no sábado eu almoço lá pelas 2 e tantas...). Cartão de crédito. Perguntou se meu nome e endereço eram aqueles mesmos, eu confirmei (aliás, comé que essa gente sabe tanto sobre a nossa vida?). Depois perguntou qual era minha profissão. Usei o "truque":

- Atualmente estou desempregado.
- Sim, Sr. Níkolas (nunca acertam meu nome). Há quanto tempo o senhor está desempregado?
- Ah... Faz uns 6 meses...
- O senhor então não tem renda nenhuma?
- Não... A situação anda difícil, sabe?

Disse que ia agendar para "estar retornando" a ligação, agradeceu e desligou. Acho que meu telefone foi para sempre riscado das listas de telemarketing da Credicard.

O truque funciona e eu recomendo. Aprendi com meu pai. Fica melhor se acompanhado de um falso entusiasmo: "ah, que bom, um cartão de crédito! Justamente o que eu mais precisava agora que eu perdi meu emprego e minha filha engravidou".

 

 

 

 

24 julho, 2005

 

Só pode ser pegadinha


 

Ouvi dizer que a secretária Fernanda Karina Somaggio (é assim que escreve?) foi convidada para posar na Playboy.

E que um freqüentador deste blog, eleitor do José Serra, (não vou revelar quem) está seco para comprar o primeiro exemplar, caso a barangona aceite em mostrar a negócia dela.

Esses tucanos são capazes de tudo...

 

 

 

 

22 julho, 2005

 

CPI de qualquer coisa - Piores momentos


 

No dia do depoimento do Delúbio Soares numa CPI dessas, a tal Denise Frossard, do PPS, a aparecidinha da vez, desandou a achincalhar o ex-tesoureiro fanho do PT ao invés de perguntar qualquer coisa. Desenterrou aquela conversa atravessada de "o PT tentou amordaçar a imprensa", e que agora ficava claro o porquê. Bobagem típica de um Mainardi.

A mídia anda promovendo essa Denise Frossard como a "nova Heloísa Helena", mas sem o incoveniente de ser nordestina, de origem pobre, e de esquerda.

 

 

 

 

17 julho, 2005

 

"Quem quebrou a Paulista?"


 

Isso aí em cima é o relato de um estudante que testemunhou a "guerra urbana" na Avenida Paulista, durante as comemorações do título da Libertadores pelo São Paulo. Está disponível no site da "Caros Amigos".

Partindo da polícia do Alckmin, não duvido de nada.

 

 

 

 

16 julho, 2005

 

Imagens da Terra via satélite (agora sim!)


 

Image Hosted by ImageShack.us

Encontro de uma dupla sertaneja na Amazônia. Em segundo plano, Manaus e detalhes de desmatamento.


Pra vocês verem o quanto as coisas mudam...

Há uns 2 anos atrás eu achava as imagens via satélite deste link fulero aí do lado

< ---

as mais bonitas que já havia visto. Isso foi até eu conhecer o Google Maps!

As imagens do Google têm um zoom que aproxima até a escala de alguns quarteirões, nas cidades onde existem fotos aéreas disponíveis (basicamente, EUA, Canadá, e uma ou outra cidade no resto do mundo - incluindo São Paulo e Rio de Janeiro). Pros próximos anos, a idéia é ter foto aérea com alta definição de cidades mundo inteiro, como a aí de baixo, intercaláveis com o mapa das ruas e estradas:

Empire States Building, via satélite

Empire States Building, mapa da área


Não precisa ser gênio para sacar que se trata de um imenso "mosaico" de fotos aéreas e imagens de satélite, daí que as tomadas de muito longe pareçam meio "zoneadas". Além disso, as fotos foram tiradas em estações diferentes ao longo do ano, por isso às vezes a cor muda "de repente" entre um quarteirão e outro da mesma cidade (sem falar que a técnica de coloração das fotografias via satélite é diferente da utilizada nas fotografias aéreas). Se o que você quer é só um papel de parede pro seu computador, as imagens do link aí do lado vão te servir melhor, por serem mais "limpas", por assim dizer.

Já o Google Maps representa uma séria ameaça à sua capacidade produtiva no trabalho, caso você tenha internet à disposição. Para mim, é mais danoso que Orkut e MSN, e deveria ser proibido. Enquanto não é, que tal um passeio à gélida Islândia?

Ou aos aposentos do Bento XVI?

Esse negócio saiu até no "Fantástico", daí muita gente veio procurar no Google e caiu aqui neste pobre SUBMUNDO. Achei que devia uma explicação. Aí está.

(Para os marcha-lentas: pra mudar pra imagem de satélite precisa clicar em "Sattelite", senão só aparece o mapa. Tsc, tsc.)

 

 

 

"Se a criança morrer, é porque a criança é má!"


 



Exorcismo de garota de 8 anos em igreja pentecostal em Angola

A reportagem da BBC (link acima, em inglês) foi até Angola, país africano de língua portuguesa, e encontrou crianças como a aí de cima sendo vítimas de sessões de "exorcismo", que duram dias ou até meses. Boa parte destas crianças foram encontradas em igrejas Pentecostais, que pregam "uma mistura poderosa de crenças tradicionais africanas com Cristianismo evangélico". Parece familiar?

Os africanos, como os brasileiros, tendem a acreditar em feitiçaria e macumba. Diante da completa falta de perspectiva e de sua aguda limitação de visão de mundo, acabam caindo nas mãos de charlatões que prometem a solução de todos os problemas (que não são poucos) através da expulsão dos "encostos". O foda é que, na África, o fanatismo chega a um nível muito mais perigoso do que aqui. Envolve crianças, tortura e morte.

Trechos da matéria de Angus Stickler, da BBC, mal-traduzido pel'O SUBMUNDO DE NIKOLAS:



"Eu visitei o complexo-igreja de Avo Kitoko, um conhecido - e legalizado - curandeiro de Angola, que afirma ter o poder de identificar e expulsar os 'maus espíritos' das pessoas.

Entrar na 'clínica' do Sr. Kitoko é como entrar num hospício medieval. Muitos dos 'pacientes' estavam acorrentados às paredes e ao chão. Um garoto de 15 anos estava acorrentado ali desde Janeiro. Alguns pacientes, nos disseram as 'enfermeiras', tinham problemas mentais - 'doenças' causadas pelos maus espíritos.



Sr. Kitoko ficou claramente ofendido quando expressei minha preocupação: 'Isto não é uma prisão, é um hospital', disse ele, indignado.

O que vimos a seguir foi ainda mais assustador:



Deitado no chão do salão principal estava o corpo doente de um garoto de oito anos. Domingo José estava praticamente inconsciente, seu rosto, abdômen, braços, pernas, até os dedos inchados e inflamados. O garoto estava à beira da morte.

Kitoko pegou um punhado de água e jogou no rosto de Domingo. O garoto gemeu, muito fraco para chorar. O pastor então esfregou barro na barriga e na virilha do garoto.

Estava claro que esse garoto deseperadamente doente precisava de um hospital, mas o curandeiro insistiu que ele reagiria ao remédio tradicional.

Haviam 65 pacientes nesta clínica, ou igreja. Quando estávamos saindo, Avo Kitoko ainda nos perguntou se por acaso sabíamos de alguém que patrocinaria a abertura de uma clínica dele na Inglaterra.

Contactamos imedidatamente as autoridades, desesperadamente preocupados sobre o estado de saúde do garoto Domingo José, em particular. Apesar de repetidas ligações telefônicas para oficiais do governo angolano e dos esforços da UNICEF (órgão das Nações Unidas dedicado às crianças), demorou pelo menos 4 dias para que alguém visitasse o garoto. Ele não sobreviveu. As autoridades angolanas afirmaram ter aberto um inquérito para investigar o falecimento do garoto.

(...)

Nos últimos anos, houve um crescimento explosivo no número de novas igrejas. De acordo com informações do governo angolano, só em Luanda operam mais de 100 igrejas diferentes.

Nas ruas sujas do vilarejo de Palanca, nos deparamos com uma pequena igreja pentecostal. Dentro de uma casinha de concreto, encontramos uma cena chocante: uma garota semi-nua de 8 anos, com a cabeça raspada, estava sentada no chão aterrorizada enquanto o pastor e sua mãe gritavam com ela. Era um exorcismo, o pastor nos disse. O casamento da mãe dela havia terminado, a culpa era da criança, que estava possuída pelo espírito Kindoki. Alguma coisa havia sido esfregada nos olhos da garota como parte do ritual, que já durava 3 dias. Faltavam ainda 24 horas de "exorcismo" para a menina.

(...)

Angola foi devastada em quase 30 anos de guerra civil. Muitas crianças ficaram órfãs e foram criadas por tios, tias ou parentes distantes. Mas nem sempre estes parentes conseguem arcar pelo sustento das crianças.

É socialmente inaceitável, em Angola, expulsar uma criança de casa por motivo de pobreza. Mas se a criança está "possuída", é diferente."

 

 

 

 

08 julho, 2005

 

Em boa hora!


 

Finalmente a imprensa brasileira vai ter que mudar de assunto por uns dias:



Já estão contando em 50 os mortos em Londres. Mais ou menos a contagem de uma semana de atentados no Iraque.

Ainda acho que a humanidade pode tirar alguma lição de paz destes atentados. Somos solidários a nova-iorquinos, madrilenhos e londrinos, mas não ligamos para bombardeios em Bagdá e torturas em Guantánamo.

 

 

 

 

07 julho, 2005

 

Orkut, covil de loucos


 

Eu me surpreendo dizendo bobagens com as aí de cima em comunidades do Orkut. Essa, a do amado Democrata de Valadares, atualmente disputando a Segundona do Mineiro, mas com boas chances de subir para a Primeira.

Ainda não me decidi se é uma boa desperdiçar saliva nas paragens do Orkut. A audiência, sinceramente, não me parece valer a pena. O Milen já me disse que uma comunidade no Orkut dá mais visibilidade do que um blog como esse, mas a verdade é que o Milen não sabe o que quer.

Na comunidade Soviet Culture, tentei discutir com um lituano lá sobre socialismo X liberalismo (o cara é anarco-capitalista, pode?), mas não deu em nada. Além do quê, em toda comunidade internacional aparece sempre um brasileiro falando em português (enquanto todo o resto do mundo tenta se entender em inglês), ou num inglês tosco, pra avacalhar a parada. Não é de se espantar que existam comunidades "Anti-Brazil" no Orkut.

Acho do Orkut o mesmo que acho do Congresso Nacional: se não expurgar uns 80% dos integrantes, vai continuar uma bosta.

 

 

 

Hipérboles e eufemismos


 

Primeiro Jornal, da Band, dia desses. Entrevista com um presidente de uma CPI dessas aí, acho que um deputado do PT. Não sei como, surgiu o tema da reeleição do Lula - parece que o petista teria afirmado que é do interesse do Presidente investigar todas as denúncias para concorrer em 2006 com a reputação menos manchada.

O reporterzinho da Band me vem com essa:

"Mas ainda há que se falar na hipótese da reeleição do Lula?"

Não sei qual pesquisa eleitoral essa besta andou lendo, mas acho que desde meados de 2000 Lula lidera folgado as intenções de voto para Presidente em todas elas. Agora, por conta do escarcéu promovida por conta própria, a mídia gorda já fala de Lula como carta fora do baralho para 2006. Como diria Goebbels, repita muitas vezes até virar verdade.

A mídia reflete a opinião pública ou o público reflete a opinião da mídia?

Em tempo: aposto um engradado de cerveja na reeleição do Lula. Quem topa?

 

 

 

 

06 julho, 2005

 

"Ever get the feeling you've been cheated?"


 

Zapeando na semana passada, captei a seguinte legenda no programa do Gilberto Barros, o Leão: "EXCLUSIVO: a separação da Banda Br'oz".

Se você não sabe o que é Br'oz, meus parabéns! Você é uma das poucas pessoas deste país a assistir televisão dentro dos limites recomendados pelos médicos. Em todo caso, apresento-lhes: Br'oz (será que é assim mesmo que escreve?) é uma banda pop de marmanjos criada num reality show, a exemplo da banda "Rouge" - esta, porém, formada só por mulheres, e mais famosa pelo hit "Jabaculê", digo, "Azerehê". Em outras palavras, um amontoado de bombadinhos sem talento reunidos por empresário da indústria cultural pra mó de embolsar uns trocados à custa de adolescentes (muié, obviamente) que não sabem o que fazer com os dinheiros de papai.

Claro que estas coisas têm curta duração, já que as adolescentes de hoje em dia não conseguem dedicar atenção a uma mesma coisa por mais de 5 segundos consecutivos. Quando o Br'oz (não é possível que esta apóstrofe entra aí!) já mofava no ostracismo, eis a "bomba": romperam!. A produção do Gilberto Barros conseguiu a proeza de achar umas 4 fãs do "Br'oz" para comentar a separação. Claro que eu mudei de canal antes de as fãs começarem a choradeira e dizer que suas vidas não teriam mais sentido sem a fake plastic band.

Hoje, zapeando novamente, me deparo com outra legenda no Gilberto Barros: "Ex-integrantes do Br'oz tocando juntos pela primeira vez desde a separação". Emocionante, realmente. Não é todo dia em que os integrantes de uma banda "de sucesso" se reúnem após UMA SEMANA INTEIRA para pôr as divergências do passado de lado em favor da música.

Engole isso, Pink Floyd!

 

 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?