29 junho, 2004

 

Regininha está de volta


 

É, amiguinhos, a muié que "tinha muito medo" voltou a falar sobre política.

Acha que o Lula não está preparado para governar o País e, embora seus temores de "volta da hiperinflação" e Armageddon não tenham se concretizado, acompanha a "insatisfação generalizada" pelos jornais e acha que tá tudo uma bosta.

Sobre o "medo" da Regina Duarte, apenas repito aquilo que confidenciei a amigos em 2002: acho que o depoimento da atriz - uma muié situada na pontinha da pirâmide social brasileira, com seus 50 barões mensais - se confunde no limitado imaginário popular com o depoimento de uma de suas personagem de novela - esposas e mães de classe média como tantas outras. Daí a sacanagem. Uma dona de casa de classe média não tem medo de IPTU alto em condomínio fechado, ou de um imposto sobre grandes fortunas. A Regina Duarte tem.

Talvez a ex-namoradinha do Brasil vá reclamar de "patrulhamento ideológico", ou de não poder expor a própria opinião. Ossos do ofício. A Cláudia Abreu não pode ir na padaria sem óculos escuros, por medo de ser confundida com a "cachorra Lalaura". É para isso que elas recebem tão bem.



 

 

 

 

27 junho, 2004

 

O Fim da Cachorra Lalaura


 

Parabéns, Gilberto Braga, mais um final de novela completamente previsível e boçal. Sacanagem isso, criar expectativa na muiezada praquilo. Bom, talvez elas gostem assim. "O mocinho vence o vilão e beija a mocinha no final".

Pelo menos não fez igual o Manoel Carlos, que fechou o folhetim barato dele - "Desejos de Mulher", ou coisa que o valha - com o pai véio dando uma surra de cinto na filha vagaba. O pior é que a audiência apladiu de pé.

Depois dizem que as mulheres vão mudar o mundo.



 

 

 

Outra Crítica de Filme Antigo


 

Do tal "Bicho de Sete Cabeças" pode-se dizer que atende ao que se propõe: levanta questões pertinentes com orçamento limitado. A tragédia dos manicômios, estes depósitos de gente indesejada, à mercê de indivíduos da pior espécie. A hipocrisia e os preconceitos relacionados à maconha, a tosquice de valores de nossa classe média / média-baixa, nossa juventude incompreendida e sem perspectivas. Merece os prêmios que ganhou.

Contudo existem alguns buracos não esclarecidos na história. O Santoro atua bem, mas enigmaticamente, de modos que ficamos daqui sem saber o que o rapaz pensa da vida - talvez, como é comum na juventude, pode ser que o próprio personagem não saiba. Até que ponto suas desilusões e desatinos são seqüelas do inferno em que viveu, ou puro arroubo juvenil, ou "manha" mesmo? Talvez o livro que inspirou a fita - "O Canto dos Malditos", de Austregésilo Carrano - tenha uma resposta mais conclusiva.

No mais, vale pela trilha sonora, com destaque para a voz de oboé do Arnaldo Antunes.





 

 

 

De Volta à Nossa Programação Normal


 

Estive ausente usufruindo do privilégio varguista das férias renumeradas, esse resquício de Estado Novo que nossas valorosas lideranças insistem em derrubar.

Quer dizer, usufruindo em partes, já que não tenho dinheiro para viajar como gostaria. Uns dias na casa de mamãe, outros na casa da sogra, e deu. Até voltamos mais cedo.

Ao menos tenho isso aqui para me divertir. Me contento com pouca coisa.



 

 

 

 

16 junho, 2004

 

A Missão Sagrada de Desmentir as Lorotas Feministas Continua


 

Se sai uma pesquisa dizendo que negros ou indígenas têm escolaridade ou desempenho escolar menor que os outros, logo se atribui a diferença ao preconceito, discriminação e coisa e tal. Mas quando a Veja publica uma reportagem dizendo que os meninos perdem para as meninas em escolaridade e largam a escola antes, as muiés enchem o próprio ego. "Prova da nossa superioridade", dizem.

Superioridade o caralho. Porra nenhuma. Discriminação, isso sim. Os meninos largam a escola antes - principalmente os de baixa renda - porque, ao contrário das meninas, não alimentam a rósea perspectiva de viver da renda de cônjuge. Não temos direito a frescuragens, pois é sobre nós, até hoje, que pesa a responsabilidade pelos sustento da família. Quem consegue conciliar estudo e trabalho, comprensivelmente, tem um desempenho escolar comprometido.

Para as meninas é tudo mais fácil. Se recusam a pegar "qualquer trabalho", tipo servente de pedreiro ou lixeiro. Deixam o degradante para nós e vão fazer vestibular para seus cursos "espera marido", tipo "biblioteconomia" ou "secretariado executivo trilíngüe".

Sem falar que homem é sempre questionador e inquieto, daí a dificuldade de se adaptar a um sistema educacional tacanho como o nosso. Já as meninas, sentam na primeira fila, babam o ovo da professora e tiram só dez. Se adaptam com facilidade ao sistema e são recompensadas pela bajulação e mediocridade. Afinal, se mulher fosse contestadora, não teriam ocupado por milênios uma posição subalterna a nós.

Nosso triunfo é que as mentes geniais estão sempre do lado de cá. No dia que elas tiverem um Einstein, um Marx, um Da Vinci e um Bethoven mulher, podem falar em "superioridade" conosco.


 

 

 

As Mentiras que os Homens Contam


 

Baixada a poeira dos 60 anos do Dia D da Normandia, há que se botar os pingos nos "is" sobre a Segunda Guerra. Para começar, esse papo de que "o mundo livre venceu a opressão nazi-facista" não passa de uma grande balela contada pelos vencedores. Fosse outro o vencedor, estaríamos hoje ouvindo coisa semelhante, que o inimigo era "vil e cruel" e que "heróis" como Hitler e Mussolini nos levaram à "salvação".

Chamar França e Inglaterra de "defensores da liberdade" é ignorar as sacanagens cometidas em suas colônias na África e Sudeste Asiático. Os States há muito aprontavam no quintal, liberdade e dólar sempre de mãos dadas. E o Stálin, cá entre nós, faz os crimes do Hitler parecerem coisa de amador.

A bem da verdade, não existia nenhum "mundo livre" em 1944. Votavam para presidente em alguns lugares, mas comunista e pacifista de jeito nenhum. De preferência, naqueles tempos cabeludos, um general. E tinham sempre o argumento da "segurança nacional" para calar dissidente.

No fim das contas, talvez o resultado tenha sido o menos pior: o nazismo aniquilado e o mundo dividido em dois lados fortes o bastante para destruir-se mutualmente porém cagões o suficiente para não fazê-lo. E todos viveram felizes e em paz para sempre - exceto se você teve o azar de nascer na Bósnia, Vietnã, Oriente Médio, Baixada Fluminense...

A imagem dos bravos homens indo morrer na puta que pariu em nome da "liberdade", os russos hasteando a bandeira soviética sobre o Reichstag, é tudo mentira, mas talvez seja melhor que a verdade.

 

 

 

 

10 junho, 2004

 

República Fundamentalista do Rio de Janeiro


 

Ficam dando voz praquele doido do Olavo de Carvalho - que até pouco tempo atrás tinha uma página na "Época" - falar sobre uma secreta "implantação do comunismo via PT e MST" no Rio Grande do Sul e se esquecem das estripulias do casal Garotinho, no Rio. A governadora Rosinha agora quer implantar a disciplina "Criacionismo", para que padres e pastores ensinem nas escolas estaduais que Deus criou o mundo em sete dias. Sim, porque em pleno século XXI tem gente que acha que Darwin era apenas um blasfemador e que fósseis de dinossauro são equívocos de arqueólogos ineptos. O "Criacionismo", aberração criada por republicanos dos cafundós dos EUA, aporta agora em terras brasileiras.

De cá, fico encafifando que a simples mania do homem brasileiro de "macaquear" as piores manias dos primos ricos consiste em prova cabal de que homens e macacos têm uma origem comum.


 

 

 

 

07 junho, 2004

 

Basta de Estopa!


 

Para comprovar a tese de que a internet nada mais é que um criadouro de inutilidades, esses caras inventaram uma versão do Hino da antiga URSS traduzido foneticamente para o Português - e dando um novo sentido para a letra.

Dá pra dar umas risadas baixando o hino original no Kazaa e comparando com a letra deles.

 

 

 

 

06 junho, 2004

 

Davi versus Golias


 

Tudo bem que futebol é assunto menor, vã preocupação de homens desempregados metidos em butecos sujos, mas por trás desta história há todo um conflito de mundos e ideologias:

Tribunal de Alçada dá ganho de causa ao Democrata no caso Fábio Júnior. Cruzeiro condenado a pagar 2,25 milhões de dólares ao clube de Valadares.

Resumo da ópera: o Cruzeiro comprou o perna de pau do Fábio Jr. do Democrata por 300 mil reais, em 1997. Um ano e meio depois, vendeu o mesmo jogador para a Roma, mas desta vez por US$ 15 milhões num dos maiores gatos-por-lebre da história do futebol internacional.

O time de Governador Valadares foi à justiça para conseguir os 15% disso que a lei lhe garantia, como responsável pela formação do, er..., talento. E ganharam, pelo menos até agora.

Mas o Cruzeiro já anunciou que não paga e vai recorrer. Não vão dividir o lucro de 6.000% com pequenos - ora, os irmãos Perrella jamais chegariam onde estão doando milhões pra pobre!

O Democrata, que já foi vice-campeão mineiro, participou da segunda divisão do Brasileiro e da Copa do Brasil, hoje está afundado em dívidas e na segunda divisão do Campeonato Mineiro. Há um tempo atrás, estava se hospedando "de favor" nas cidades em que joga como visitante, porque faltava grana pro hotel. Sequer têm a população de Governador Valadares para lhes apoiar, mesmo porque o pessoal de lá torce pros times do Rio ou pro próprio Cruzeiro, ou porque já têm as suas preocupações - como emigrar ilegalmente pros States. O jornal de lá, por exemplo, não dá uma linha sobre o assunto.

Não desanime, nação democratense, vocês ainda têm a mim! A justiça há de prevalecer sobre os fazedores de salsicha sem coração.


 

 

 

Defunto é para ser chutado


 

Quem mete o pau em Bush Jr. não pode chorar por Reagan. Bom, talvez ele fosse mais engraçado, autêntico até. E lembrar Reagan tem aquele gostinho de anos 80.

O fato é que, se Bushinho usou a guerra contra o terrorismo para fazer sacanagem mundo afora, Reagan usou a guerra contra o comunismo pra fazer o mesmo. Se o primeiro é um filho da puta, o segundo também é.

Vão dizer que ele era conciliador, que é o responsável pelo fim da Guerra Fria, quando na verdade foi Gorbachev o conciliador. A paz veio do lado de lá. O geopolítico de butequim aqui imagina que, nas mãos de um facistóide nacionalista tipo Brejnev, a Rússia estaria às turras com os Estados Unidos até hoje. E numa merda desgraçada, diga-se.

Bom, o defunto está na mesa. Quem quiser chutar ou chorar, é só clicar no "comments" abaixo.



 

 

 

Beagá Bagdá


 

Pra mostrar que é macho e que não vai se deixar intimidar por gambé subversivo, o ex-surfista Aécio Neves mandou chamar o Exército. Os milicos, devidamente camuflados - isso aqui é mesmo uma selva, não é? - abundam na Praça Sete, perto da Rodoviária e em outros lugares onde possam ser vistos. Tem mais soldados no Centro hoje do que em 31 de Março de 1964. Mas na Pedreira Prado Lopes e em Ribeirão das Neves, não deve ter nenhum.

Na América Central, os milicos têm a função sagrada de promover golpes militares. No Brasil, lembram-se deles só para fazer joguinho de cena. Garotinho sonha com os votos que a presença dos "homens de verde" nas ruas do Rio lhe renderia. Itamar colocou um tanque na entrada do Palácio da Liberdade com medo de golpistas, ou sei lá. Agora o Aécio me vem com essa. As pessoas nas ruas, sem entender bulhufas, acabam se sentindo mais inseguras: "nossa, a situação tá tão grave que botaram o Exército nas ruas? Estamos igual ao Rio de Janeiro?"

A única coisa boa disso tudo é desmitificar o Exército como "solução para o crime". Soldadinho mal pago e alimentado com arroz bichado não vai "subir morro" e enfrentar Zé Pequenos com aqueles fuzis antiquados - e, se bobear, sem munição. Véias vão continuar sendo assaltadas por trombadinhas na Rua São Paulo do mesmo jeito.

Porque Rambo só existe no cinema.

 

 

 

 

05 junho, 2004

 

Fora Ricardo Guimarães!


 

Já estou até vendo a cena: no próximo jogo do Galo no Mineirão (um empate, aposto), as Galoucuras da vida vão chamar o goleiro Velloso de filho da puta e mercenário, só porque o véio foi na Justiça Trabalhista contra o "glorioso" obter seus direitos legítimos.

Aí colocam o Danrgay em fim de carreira no lugar, o puto faz umas três partidas boas e fica tudo por isso mesmo.

Ô porra, a saída do Velloso é a gota d'água! Estes caipiras da atual diretoria já estão fazendo hora-extra. Podem não ser larápios, mas são incompetentes. Se prometeram pagar mais do que podiam, é porque são mal-intencionados ou burros. E burrice não se perdoa.

Ô suas torcida organizada de merda, é chegada a hora de agir. Boicote ao Mineirão, protestos no CT, sei lá. Apedrejar vitrine da sede e carro de cartola não precisa, mas eu particularmente não me incomodo.

 

 

 

O Equívoco do Cabeça de Ovo


 

Tucanos e pefelês, depois de perderem metade de suas bancadas no Congresso para partidos governistas - pragmáticos e fisiologistas são os outros, pois sim - querem transformar as eleições municipais em palanque para o "retorno triufal" em 2006. A contragosto, Serra foi lançado para combater Marta Suplicy, mas o alvo do tucanato é mesmo Lula.

Governar Sampa é tarefa inglória e não costuma adicionar muito à biografia política de ninguém. A Marta, então, com aquela mania de exibicionismo de Caras (muié é foda!), a cada dia cai mais no conceito de todo mundo. A mãe do Supla me parece uma vitrine muito mais frágil que o Lula, mas os tucanos parecem estar acreditando muito em pesquisas de opinião e acham que é hora da revanche do Serra - um dos políticos mais sem carisma da História deste País.

O estrategista político e vidente de butequim aqui imagina que o feitiço pode virar contra o feiticeiro. Serra deixou um Ministério da Saúde cheio de esquemas de corrupção intactos. Se o PT quiser "nacionalizar" a campanha, pode argumentar que o escândalo dos "vampiros" remonta às gestões de Serra e Adib Jatene, no governo FHC - e nenhuma investigação séria foi conduzida na época. Sua campanha derrotada à Presidência deixou também um monte de fiado pendurado na praça, portanto vai ser difícil arranjar um marketeiro que se habilite.

Como o eleitorado paulistano é capaz de qualquer merda - inclusive Maluf - vamos ter de esperar até Novembro para saber se tô certo ou tô errado.

 

 

 

Da Série "Desmentindo as Grandes Mentiras Históricas"


 

Desde nossos tempos de quinta série, ouvimos aquela ladainha de que "as meninas amadurecem mais cedo que os meninos". As "mocinhas" de 11, 12 anos, com os peitinhos já aparecendo, nos olham com um ar superior, triunfal, infladas por esta teoria. Por se acharem mais maduras, ficam dando mole pros "maduros" rapazes de 14, 15 anos, enquanto ficamos sós com nossos videogames e futebol, esperando a tal "maturidade" que não sabemos o que é.

Só podemos então desejá-las na punheta, então recém-apresentada. Elas nos ignoram, as malditas, nos tratam como "crianças", como se fossem elas diferentes. Quantas almas juvenis não foram torturadas por conta desta teoria mentirosa?

Mais maduras o cacete. Porra nenhuma. Se interessar por shopping center e rapazes, ter peitinho e menstruar não são sinônimos de maturidade. Dêem a elas um cartão de crédito, ou a liberdade de chegar em casa na hora que quiserem, e vejam o que acontece: cheque especial e gravidez. Saudosas das bonecas, algumas até engravidam "de propósito" para ter um bebê "de verdade". Outras utilizam o clássico estratagema de prender o namorado pela barriga - a dela, não a dele como as cozinheiras de antigamente.

Maturidade, pelo menos da última vez que eu li no Aurélio, tem a ver com responsabilidade pelos próprios atos. Uma menina de 12 anos representa o oposto disso. Patricinhas de até 16 ou 17 anos costumam trazer prejuízos e netinhos para casa também.

A bem da verdade, muitas mulheres não amadurecem nunca. Tá cheio de "meninas" de 30, 40 anos fazendo compras e dirigindo automóveis por aí. Mas não espalha, senão elas choram e chamam a mamãe.

 

 

 

 

02 junho, 2004

 

Roxo? Má que porra é essa?


 

É, meus amigos, será um longo e tenebroso inverno...

Isso aí em cima é o melhor que consegui fazer em termos de título pro meu SUBMUNDO. Depois dizem que Educação Artística na escola é frescura...

Negócio é esse mesmo: roxo, azul-marinho, preto, branco e variações. Tipo bandeira da Estônia. Para arrematar, uns caracteres cirílicos - este alfabeto do mundo bizarro. Saudosismo de países e equipes de Fórmula Um falidas - depois eu explico.

Mas vamos melhorar. Aos poucos. Quem tiver idéias melhores, que mande. Mas sem veadagens e "tom-sobre-tom".

(Mas com quem eu estou falando, afinal? Não tem nada no contador de visitas...).

 

 

 

 

01 junho, 2004

 

Sozim? Sozim não...


 

Esqueci de dizer que, enquanto o e-zine O SUBMUNDO DE NIKOLAS foi uma experiência predominantemente monóloga, pretendo que o blog tenha mais participações especiais.

Ou seja, vou aceitar contribuições e cogitar até distribuições do controle acionário, desde que me convenha.

Portanto, Sr. Henrique Milen, desista de sua patética concorrência e venha para "O Lado Negro da Força"! E vê se procura o O.A. (orkuteiros anônimos) para largar este vício improdutivo.

E Dona Camila Maciel Mantovani, vê se dá umas dicas de hipertexto para o amigo aqui. Eu sei que seu marido é ciumento e não te deixa trabalhar fora, mas explique direitinho que ele vai entender.

Quem souber desenhar também será bem acolhido - Milen, você não! - já que boa parte dos meus leitores "só lê figuras".

 

 

 

E comé que vai funcionar esta bagaça?


 

Mais ou menos do mesmo jeito que o e-zine, porém com três diferenças principais:

1 - Não preciso juntar um caminhão de coisas para mandar de uma vez;

2 - Vocês vão ter que acessar este endereço aí em cima (chega de papinha na boquinha de nenêm!);

3 - Vocês vão poder comentar em tempo real - claro que comentários bestas, segundo o meu critério, serão sumariamente deletados, e cuidado com os palavrões porque crianças podem cair aqui por engano.

Ah, sim, à sua esquerda vamos colocar uns troço interessantes, como as vinte e uma edições do e-zine O SUBMUNDO DE NIKOLAS (cópias remasterizadas em stéreo), links para as recomendações submundanas e a seção "Outros Mundos", para expor meus outros trabalhos (ô sujeito exibicionista!).

Claro que tudo isso são apenas idéias, até que eu consiga dominar o Front Page e estes hipertextos do capeta. Onde está um web designer desempregado quando se precisa dele?

 

 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?